Análises PC

Resident Evil 4

182.932 viewsPublicado em 30/05/2007 |
Gênero(s):
Ação / Aventura

Fabricante:
Capcom

Distribuidor:
Capcom

Lançamento: 15/05/2007

Imagens:

Resident Evil 4 (PC)

Resident Evil 4 (PC)

Resident Evil 4 (PC)

Resident Evil 4 (PC)

Em 2005, Resident Evil 4 para Nintendo GameCube foi com todo direito aclamado como um dos melhores jogos de ação e aventura já lançado, graças aos visuais exuberantes e seqüências de ação tensas que estavam entre as melhores dos jogos. Mais tarde naquele ano, os proprietários do Playstation 2 foram abençoados com sua própria versão do jogo, trazendo mais missões e alguns outros itens destraváveis. E agora você pode jogar Resident Evil 4 em seu PC. Isso é demais!! É uma pena que os usuários do PC tenham sido atingidos por uma transferência preguiçosa que faz o mínimo possível para sustentar a plataforma. Esqueça o suporte para mouse, esqueça de escolher os trajes à sua preferência, e nem pense sobre qualquer item somente para PC: esta é uma transferência direta da versão para Playstation 2. Se você consegue superar todos esses problemas, RE4 ainda é uma experiência intensa e emocionante que fará seu coração bater mais forte. Mas se você ainda não jogou Resident Evil 4, esta versão deveria ser seu último refugio.

No caso de você não ter idéia do que o jogo se trata você joga como Leon S. Kennedy, um agente secreto encarregado de recuperar a filha do presidente que foi seqüestrada. A busca dele leva a uma assustadora vila espanhola onde os residentes estão, bem, não tão lúcidos. A estória usa o clichê ocasional, mas para a maior parte, evita a usual patifaria de horror para apresentar uma narrativa interessante e intensa com um número de personagens fascinantes. É também genuinamente assustador, levando você a fazendas abandonadas, igrejas alagadas, e cavernas inundadas, o tempo todo lançando progressivamente inimigos mais estranhos e mais fortes em você. Como a versão para PS2, esta também inclui uma estória lateral chamada Separate Ways, onde você assume controle da espiã Ada Wong e explora algo do mesmo enredo da perspectiva dela.

O sucesso de um jogo de horror tem muito a ver com sua atmosfera, e esta versão de Resident Evil 4 trazia uma porção disso. Mas isso não é dizer que parece superior às versões para GameCube e PS2. Os modelos de personagens e ambientes são lindamente desenhados. Eles foram também obviamente criados com deliberados detalhes e cuidado. De nota particular são os personagens líderes que se tornam mais vulgares e ameaçadores conforme você avança. Mas muito do ambiente foi perdido na transformação. Porque a neblina com granizo se foi, tudo parece mais claro, mas menos sinistro do que antes. Isso também significa que você notou um monte de texturas com baixa resolução que tem enorme contraste com os aspectos mais marcantes do visual. Entretanto, as cenas são as maiores frustrações gráficas. Enquanto a versão para GameCube apresentava cenas em tempo real, esta empresta as cenas não apresentadas em tempo real do PS2. Elas são embaçadas e mal comprimidas no PC, assim como um pouco feias. Adicionalmente, você não pode decorar qualquer cenário visual, aparte da resolução de display.

Felizmente, o áudio não sofre muito, se chega a sofrer. Resident Evil 4 é um festival assustador sonoro, desde a assustadora trilha Sonora minimalista para os incríveis efeitos de armas. De fato, os aspectos mais memoráveis do jogo são acompanhados pelo áudio igualmente emocionante, tais como o rosnar de líderes gigantes ou murmúrios perturbadores dos habitantes da vila conforme ele se infiltram em seu espaço pessoal.

A maior omissão em meio a todos esses problemas de transferência é a dos controles. Resident Evil 4 não suporta controles de mouse, embora isso não ofereça um esquema moderadamente desajeitado apenas por teclado. Uma porção de jogos centrados em console tem melhor desempenho com um gamepad, mas não havia nem mesmo uma tentativa de implantar decentes controles para PC aqui. Para experimentar o jogo do modo como foi desenvolvido para ser jogado, você precisa plugar em um gamepad. Qualquer que seja o método que você escolher. Se você termina usando os controles de teclado, certifique-se de memorizar qual chave é a tecla 1, qual a 2, e assim por diante. O mesmo problema existe com um controlador, embora seja um pouco mais fácil conseguir apertar teclas corretamente porque os diagramas dentro do jogo são ornamentados para usuários a gamepad.

Uma vez que você superou todos esses problemas e plugou seu controle, você descobrirá que é o mesmo Resident Evil 4 que muitos jogadores vieram a apreciar com o tempo. Tem um passo cuidadoso, frequentemente o jogo tem ação de tirar o fôlego que mantém você na ponta da cadeira com olhos quase de zumbis, falas religiosas, e desafiadoras lutas contra líderes gigantescos. Você vê a ação de um ponto de vista em terceira-pessoa, e quando você segura uma arma, a câmera dá um close. Uma vez que você aponta sua arma, você não pode se mover, mas você pode mirar. Tudo parece muito deliberado, mas corre perfeitamente na velocidade em que os inimigos te abordam. Entretanto, você deveria através disso entender que a ação não é menos excitante que em qualquer shooter tradicional. Existem inimigos perigosos, e você precisa pular sobre eles cheio de vontade antes que eles caiam.

O combate fundamental é onde o jogo mais brilha. Seu arsenal consiste de pistolas, armas de fogo, rifles e mais, com cada uma das armas produzindo resultados incríveis. Mostrar o poder do tridente aos habitantes locais fará com que eles larguem suas armas. Ou você pode atirar nos joelhos deles e fazer com que caiam momentaneamente ao chão. Porque a munição não é terrivelmente abundante, sendo capaz de lidar com uma multidão de psicopatas andando com tão poucos tiros quanto for possível é a prioridade principal. Você sempre tem uma faca como último recurso, mas a menos que você queira tomar um dano grave, é melhor manter-se distante.

Ações contextuais também contribuem para o senso geral de urgência. Não espere sentar e cochilar durante as cenas por causa das muitas interações exigidas na forma de alguns apertos de teclas. Se você estiver dormindo na direção, Leon será esmagado por um inimigo ou estrangulado, e você será ameaçado com uma tela de ‘Game Over’.

Há muito gameplay a ser tido aqui, com perto de 30 horas de ação de alta-qualidade e poucas boas razões para voltar depois de terminá-las. È uma pena que o PC perdeu potência com uma transferência preguiçosa. É também difícil não se perguntar por que a Capcom se deu ao trabalho de fazê-lo. A versão para PS2 está inalterada na descuidada transição para PC, então se você não tem outro meio de experimentar Resident Evil 4 e tem um gamepad, o gameplay central são algumas razões suficientes para adquiri-lo. De outra forma, adquira uma versão diferente e espere que os responsáveis pelo desenvolvimento mostrem um pouco mais de respeito para com a plataforma da próxima vez.

Avaliação final: 7.7
Jogabilidade: 8.0 – Gráficos: 7.0 – Som: 9.0- Diversão: 7.0

652 Comentários para "Resident Evil 4"

Deixe seu comentário