Análises Wii

Mario Strikers Charged

Publicado em 30/05/2007 |
Gênero(s):
Esporte

Distribuidor:
Nintendo

Lançamento: 30/07/2007

Suporte:
Cartao de memória

Videos
Assista ao vídeo!

Imagens

Mario Strikers Charged (Wii)

Mario Strikers Charged (Wii)

Mario Strikers Charged (Wii)

Mario Strikers Charged (Wii)

Mario Strikers Charged (Wii)

Mario Strikers Charged (Wii)

Mario Strikers definitivamente não é um jogo de futebol. Para ser justo, não é um jogo esportivo também, no sentido tradicional. O sentido tradicional sendo qualquer coisa que não envolva mergulhos no céu ao som de banjo, discos de cogumelos epiléticos e intoxicação por gases, obviamente. Sim, senhoras e senhores, é hora de agitar com Mario e seus amigos mais uma vez, em um outro formato para a superficial relevância do futebol que paira sobre uma pilha de insanidade viciante.

Se você estiver familiarizado de qualquer modo com o título original, você se sentirá instantaneamente em casa com esta versão para Wii. De uma perspectiva básica, esta seqüência se desenvolve muito como seu ancestral. Entretanto, a Nintendo e a produtora Next Level realmente trabalharam para dar forma profunda a fórmula original e fazer um jogo mais profundo e muito mais satisfatório desta vez.

Isso é evidente desde o início, com o menu de tela de Mario Strikers repleto de vários módulos e opções mais definidas. Para os jogos single-player existem os torneios Road to Striker Cup e Striker Challenges, com partidas multiplayer fazendo uso do modo Domination juntamente com a muito informativa oferta inaugural do console da Nintendo. Há até mesmo um Hall of Fame rastreando suas várias conquistas conforme suas habilidades de lances aumentam com o jogo.

Enquanto a Road to Striker Cup é um moderado e tradicional torneio ao estilo de vitória fácil, ver-se enfrentando várias equipes controladas por computador em uma série de partidas progressivamente mais difíceis, Striker Challenges vai de alguma forma aumentar a longevidade solo de procedimentos, o que o primeiro jogo não tinha de modo algum. Como o nome sugere são apresentadas a você uma série de desafios, nomeadamente baseadas em torno das clássicas partidas relutantes de Mario. Então, por exemplo, Mario e Donkey Kong são colocados em uma partida mortal repentinamente, com o único objetivo de vencer. Em outro lugar, aquela rivalidade fraternal honrada pelo tempo acontece quando Luigi finalmente tenta dar a Mario o que merece, virando a batalha em favor dele antes que o sinal toque.

Há uma porção de desafios para serem superados, tudo pontuado de acordo com a dificuldade. Eles são todos curtos no geral e variados o suficiente para continuar envolvente e – até mesmo melhor – seus trabalhos são recompensados com cartões de jogadores, conforme você completa um conjunto de desafios para personagem, visíveis no Hall of Fame. O sucesso em ambos os módulos, Challenges e Road to Striker Cup gradualmente destrava uma grande variedade de dicas – divididas em categorias ambientais, potência e personagem – as quais podem ser usadas para misturar a ação ainda mais no multiplayer Domination.

Admitidamente ficamos um pouco divididos aqui; enquanto o original Mario Strikers oferecia uma lista de opções paralelas mais flexíveis desde o inicio, a riqueza de elementos ajustáveis que podem ser abertos através do jogo persistente definitivamente provê um incentivo tangível para passar os módulos Striker Cup e Challenges, para não mencionar um tutorial completo nos caminhos do jogo. Entretanto, é um pouco decepcionante notar que algumas opções básicas e muito pedidas não estão disponíveis desde o inicio – sabemos por experiência que alguns jogadores prefeririam acionar esses poderosos lances de pontos-de-movimento, por exemplo. De outro modo, há uma porção de benefícios enterrados mais afundo dentro do jogo para jogadores mais dedicados, incluindo milhares de taças e troféus. A propósito, Bowser é um personagem jogavel desde o inicio desta vez e não fica apenas pulando nos estádios.

Falando de estádios, uma das nossas críticas que diz respeito ao jogo original Strikers era sobre a repetitiva seleção de estádios disponíveis. Ao mesmo tempo em que havia alguma variação nas arenas em si, os cenários menores traziam pouco para distinguirem-se uns dos outros – com a maioria submetido ao que é brando, com manchas distintas de metal e aço enferrujado, presumivelmente uma herança dos primeiros lançamentos do jogo, da origem do universo de Mario. Felizmente, a Next Level acertou desta vez. Não apenas a lista de estádios aumentou de sete para dez (com todas as arenas originais retornando mais bonitas, e disponíveis desde o início).

Além disso, também, a Next Level aparentemente escutou o retorno dos fãs e retificou algumas queixas em comum do primeiro jogo. Para começar há agora uma seleção mais diversa de capitães, no total de 10, cada um com suas próprias super habilidades singulares para dominar. Como com as elevações de potência, essas são ganhas quando a equipe opositora faz uma falta tal como atingir um jogador que não está com posse de bola. A extensão das Super habilidades vai do peso ao chão de Donkey Kong e do previsível crescimento explosivo de Mario até a francamente alarmante expulsão de calças de Wario que confunde jogadores. É importante que, essas habilidades nunca são tão potentes de modo que cheguem a perturbar o status da partida, mas podem oferecer um momento muito necessário de interrupção contra a oposição. Usado cuidadosamente, elas podem ampliar o campo, adicionando mais um nível bem-vindo de profundidade ao jogo.

Desta forma, agora é possível vestir completamente os membros remanescentes do seu esquadrão, escolhendo de uma lista de oito possíveis personagens. Trazendo por exemplo, Koopas e Toads, por exemplo, cada um especialista em jogadas de criação, defesa, ataque ou potência – todos com moderados conjuntos de habilidades. Talvez não seja imediatamente óbvio como isso afeta o andamento do jogo, mas testes com suas listas podem apontar resultados significativos com o tempo. De novo, é uma adição relativamente pequena, mas uma que bane ainda mais a natureza superficial do jogo original.

No jogo, as coisas se desenvolvem muito antes de uma perspectiva básica. Em outras palavras, aparte de algumas adições já mencionadas e seus efeitos no gameplay, qualquer um que já jogou Mario Strikers antes irá se sentir à vontade. Depois de carregado o jogo não para mais, e sua ação viciante com uma variedade de táticas ofensivas e defensivas tornam o jogo muito divertido.

Apesar de usar os acessórios do Wii como o Wii remote e nunchuck, os controles são impressionantemente alinhados, com a predominância de produção em qualquer obstinada tendência agitada para uma abordagem mais direta e acessível. Do modo como acontece somente a funcionalidade singular de apontamento do Wii aparece no jogo e, mesmo assim, é limitado a um breve estilo de mini-game Duck Hunt durante o Mega Strike Goals.

Como antes, esses potentes ataques em estilo de lance especial específico para capitães, funciona com o gatilho B abaixado e realizando movimentos similares a um jogo de golfe. O sucesso determina o número de bolas que você arremessa, assim como da velocidade de ataque. Diferindo-se significativamente do original, o jogador da defesa pode tomar ação direta durante um ataque Mega Strike. É uma breve, mas tensa adição e na verdade consegue aumentar o envolvimento em procedimentos ao dar-lhe controle completo sobre o resultado de um Mega Strike. Em outras palavras é genuinamente parte integral do gameplay, muito mais do que um simples mecanismo Wii remote.

Se você ainda não entendeu a mensagem, Mario Strikers Charged é exatamente o que uma seqüência deveria ser. A Next Level pegou o formato bem-sucedido do original para GameCube e realmente atualizou aquelas áreas que tinham falhas na primeira vez. Consequentemente, este pacote parece muito melhor acabado, proporcionando uma experiência mais interessante. Isso não é mais evidente em outro ponto do que no muito comentado modo on-line. Falando sobre os itens em Wi-Fi de Charged, podemos dizer que é uma inacreditável e promissora ambição inicial da Nintendo.

Com uma lista permanente mantendo a trilha do status de todo mundo on-line e do progresso do jogo; dados extensos de quadro de líderes e Rivais para que múltiplos jogadores possam gravar suas proezas no futebol; um simples sistema de notificação instantânea para partidas que pedem com outro jogador on-line e a opção de partidas para quatro – jogadores, com dois jogadores por Wii, realmente há muito para ser admirado nos avanços inaugurais on-line de Mario Strikers.

Em última instância, Mario Strikers Charged é uma evolução do original para GameCube com o alcance do jogo de alguma forma limitado pela sua própria natureza. Em outras palavras, não fique surpreso se você se cansar de procedimentos depois de um jogo extenso. Entretanto, ao corrigir diretamente todos os problemas do primeiro jogo, a Next Level criou uma seqüência que quase parece um ser completamente diferente. Ajustes menores e atualizações suportam a dimensão e profundidade do jogo, ao mesmo tempo em que consegue reter o jogo multiplayer enlouquecedor e barulhento. Com a adição de jogo on-line desta vez também, a Next Level cuidadosamente superou problemas que diziam respeito ao primeiro título no single-player do jogo. Resumindo, Mario Strikers Charged é um titulo profundamente satisfatório, enormemente divertido e altamente recomendado.

Avaliação final: 8.5
Jogabilidade: 9.0 – Gráficos: 8.0 – Som: 8.0– Diversão: 9.0

Deixe seu comentário

2 Comentários para "Mario Strikers Charged"